AveSui América Latina 2020   /   29 Set a 01 Out   /   Feira 10h-18h   /   Seminários 9h-17h   /   Medianeira • PR

Notícias

18-Mai-2011 19:56 - Atualizado em 20/04/2016 14:41
AveSui 2011

Atualização técnica em manejo e sanidade marcam o segundo dia da AveSui

O segundo dia de programação da AveSui 2011, em Florianópolis (SC), reservou ao público visitante a continuação do X Seminário Internacional de Aves e Suínos. O evento debateu temas ligados ao manejo e sanidade das granjas nos Painéis de Avicultura e Suinocultura. 

Painel de Avicultura - Coordenado pelo engenheiro agrônomo e chefe de pesquisa e desenvolvimento da Embrapa Suínos e Aves, Gerson Neudi Scheuermann, o evento colocou em pauta os avanços da ciência no sentido de encontrar soluções que reduzam os efeitos da bronquite infecciosa nas granjas de produção de aves de corte e postura.

Alberto Back, médico veterinário e diretor técnico da Mercolab, apresentou os problemas da doença do campo. “A bronquite infecciosa de modo geral tem deixado muitas baixas na avicultura comercial do mundo todo”, constata. Segundo Back o produtor precisa se atentar para dois fundamentos de controle da doença: a biosseguridade e a correta vacinação nos animais.

Em seguida o professor da Unesp Jaboticabal, Dr. Hélio José Montassier, abordou sobre a importância da imunidade contra a bronquite infecciosa na criação de aves como forma de sobrevivência no setor. “As doenças respiratórias virais na avicultura geralmente impactam em significativas perdas econômicas e isso afeta de forma geral a rentabilidade do negócio”, atesta.

Painel de Suinocultura - Coordenado pelo consultor técnico e ex-pesquisador da Embrapa Suínos e Aves, Paulo Roberto Souza da Silveira, o evento discutiu diversos aspectos técnicos relacionados ao manejo e sanidade realizada nas granjas de produção suína do Brasil e exterior.

Dr. Peter Davies, professor da Universidade de Minnesota (EUA), focou sua apresentação nos desafios da produção norte-americana de suínos. Para o especialista os avanços na gestão de saúde suína têm reduzido o impacto de alguns importantes problemas naquele país. “Há 15 anos não apresentamos presença de salmonela em nenhum tipo de carne. Também eliminamos os riscos parasitários como a taenia solium, trichinella e toxoplasma. Além disso, doenças como disenteria suína, sarna sarcóptica, rinite atrófica e peripneumonia eram problemas generalizados que atualmente quase não existem nos rebanhos comerciais dos EUA”, complementa.

Segundo Davies no caso do Brasil é preciso que seja prioritário o controle da Síndrome Reprodutiva e Respiratória dos Suínos, mais conhecida como PRRS, e manter a vigilância de doenças que limitam o comércio exterior, como a febre aftosa e a peste suína clássica.

Já a pesquisadora pós doutorada no Departamento de Agricultura dos EUA, Dra. Rosângela Poletto fechou a programação abordando a necessidade da certificação da atividade suinícola como forma de atender a demanda do consumidor que exige qualidade e segurança no produto que adquire. A especialista apresentou também o programa PQAPlus, certificado que define 10 normas de manejo, bem estar animal, a serem seguidas pelos produtores norte-americanos.

“No Brasil está em elaboração um certificado nos mesmos moldes pelo Ministério da Agricultura e Abastecimento (Mapa). O projeto ainda está elaboração e até julho será editado pelo Inmetro”, conclui.

A AveSui 2011 se estende até amanhã (19/05). Mais informações pelo site www.avesui.com ou pelo telefone (11) 2118-3133

Texto Assessoria de Comunicação