AveSui EuroTier South America 2019   /   23-25 Julho   /   Medianeira • PR

Notícias

22-Abr-2019 08:11
Desenvolvimento

AveSui EuroTier traz a tecnologia para uma nova era na indústria leiteira

Produtividade será cada vez mais a “nota de corte” na produção de leite brasileira que tem enorme potencial para tornar-se exportadora no futuro.

A pecuária leiteira brasileira vive uma revolução técnica na qual apenas os mais eficentes se manterão na atividade. A cada 11 minutos, um dos cerca de 900 mil produtores nacionais abandona a produção em consequência de baixos níveis de produtividade.  

Pode parecer chocante, mas o dado é positivo uma vez que também sinaliza a profissionalização do segmento. Este processo conduzirá a maiores níveis de industrialização e, consequente, melhor qualidade e competitividade no mercado interno e internacional.

Atualmente, o rebanho nacional conta com cerca de 20 milhões de cabeças (o segundo do mundo) e produz 36 milhões de litros anualmente (terceiro maior produtor). Isso significa menos de 2 mil litros por vaca ao ano, contra até 10 mil de animais nos EUA ou Nova Zelândia.

O Brasil é uma potência leiteira mas o setor, como um todo, ainda está longe da relevância internacional que já atingiram a pecuária de corte, a avicultura, os grãos e, mesmo, a suinocultura. Por isso, o país ainda oscila entre ser um pequeno exportador e até mesmo importador de leite e derivados dependendo do ano.

Assim, o próprio Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) passou a estimular uma “seleção” dos produtores mais eficientes e com melhor qualidade. Ainda no ano passado, três novas Instruções Normativas foram publicadas, elevando o nível de exigências a partir de maio de 2019.

Os novos requisitos motivarão mais investimentos em equipamentos e máquinas e, por isso, a atual ministra Tereza Cristina acenou com a possibilidade de créditos para o setor. “Vamos proteger o setor mas isso não ocorrerá para sempre”, disse em uma entrevista.

A AveSui EuroTier é uma oportunidade para acessar o que há de mais avançado em equipamentos, nutrição, sanidade, genética e conteúdo para o setor leiteiro brasileiro, cuja a produção mais eficiente concentra-se justamente no Sul do País e, também, em Minas Gerais.

Expositores de referência global já confirmaram presença. Entre eles, as italianas FDA SRL e Medinova, a francesa ID Group e grandes empresas nacionais e multinacionais com representação no Brasil e América Latina. 

A FDA SRL oferece equipamentos para a produção leiteira (como bedouros, bombas de água, limpadoras, ordenhadeiras mecânicas e outros). Já a Medi Nova tem uma linha de produtos para inseminação articifial e esterilização de procedimentos (até mesmo ordenha). Já a ID Group France disponibiliza pisos e revestimentos para os estábulos.

Redação